O que é imunidade?

             Conhecemos por imunidade, o sistema de defesa e proteção do organismo, que é formado por um conjunto de órgãos, tecidos e células responsáveis pelo combate a microrganismos invasores na detenção do desenvolvimento de doenças.  Nosso sistema imunológico é composto por dois tipos de resposta principais:

- Resposta imune inata: é a primeira linha de defesa do organismo quando um “invasor” é detectado, geralmente é bastante eficiente e consegue evitar o avanço de infecções.

 - Resposta imune adaptativa: é mais específica e ativada quando a primeira não funciona ou não é suficiente para combater o patógeno.

Como funciona a imunidade inata?

            A primeira linha de defesa, conhecida como imunidade inata ou natural, já nasce com o individuo e atua sem muita especificidade, porém com bastante rapidez, nos protegendo de sermos vulneráveis a infecções recorrentes a todo momento. Sua linha de defesa é constituída por 3 barreiras principais:

- Barreiras físicas: é o primeiro pilar da imunidade inata, sendo formada pelas superfícies externas (pele) e internas (membranas), aonde se cria uma barreira de proteção física e química para impedir ou retardar a entrada de microrganismos, corpos estranhos e outros agentes tóxicos ao organismo.

- Barreiras fisiológicas ou bioquímicas: impedem o microrganismo invasor de se desenvolver no organismo, além de promover a sua eliminação através de respostas fisiológicas como a secreção ácida do estomago, aumento da temperatura corporal, etc.

- Barreiras celulares: constituída pelas células da primeira linha de defesa (neutrófilos, macrófagos e linfócitos NK), responsáveis por englobar o patógeno e promover sua destruição.

            A eficiência do sistema imune inato garante e nos preserva de ficarmos doentes a todo momento, quando esse sistema é insuficiente, temos uma outra linha de defesa mais específica que passa a ser ativada, a imunidade adaptativa.

Quando ocorre a resposta imunológica adaptativa?

            A resposta imune adaptativa ou adquirida, apesar de ocorrer de forma secundária, exerce grande importância ao organismo, pois promove a chamada “memória imunológica”, que gera células de memória, evitando que infecções pelo mesmo microrganismo aconteça ou caso venha a se repetir, ocorra de forma mais branda.

            Esse tipo de imunidade é estimulada pelo contato com os agentes infecciosos e possui duas linhas principais de ativação:

- Imunidade humoral: resposta mediada por anticorpos produzidos pelos linfócitos do tipo B;

- Imunidade celular: resposta imunológica mediada pelos linfócitos do tipo T, que promovem a destruição do microrganismo ou a morte das células infectadas, já que esse tipo de imunidade é desenvolvida quando o patógeno sobrevive à imunidade inata e humoral, ficando inacessível aos anticorpos. 

Como a vitamina D fortalece o sistema imunológico?

            A vitamina D é naturalmente sintetizada pelo organismo a partir do contato da pele com a luz solar ou ainda pode ser encontrada em alguns alimentos fontes, porém em pequenas quantidades, sendo necessário o consumo de grandes porções para suprir a demanda necessária. Com os hábitos de vida modernos, que associam proteção excessiva e baixa ou inadequada exposição aos raios UV incidentes, pouco consumo de alimentos fontes ou fortificados, estima-se que pelo menos 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo sejam deficientes desse importante nutriente.

No sistema imunológico, atua principalmente na ativação dos linfócitos, fortalecendo o sistema de defesa e prevenindo o desenvolvimento de doenças e infecções.

Uma revisão recente sobre o papel da vitamina D na redução do risco de resfriado comum associou sua funcionalidade em todas as etapas do sistema imunológico: imunidade inata e adaptativa, promovendo importante efeito antiviral.

De acordo com os profissionais mais renomados da área, a dose mínima recomendada é de 200UI ao dia, dose única encontrada em apenas 1 cápsula de Vitamin D3 da Nature Real Nutrition. Formulada com TCM em sua composição promove maior biodisponibilidade e absorção.